Problemas e Oportunidades

No dia-a-dia de quem trabalha com produto, é frequente a pergunta: “Mas qual problema você está resolvendo?” e essa simples pergunta pode confundir o transeunte que acaba de chegar no meio.

O problema que você está resolvendo tem muito a ver com a hipótese que você está trabalhando.

MAS PRI DO CÉU SÓ COMPLICA! ISSO QUE EU TÔ TRABALHANDO NÃO É HIPÓTESE, É UMA DEMANDA REAL!!!!!111

Disse o PO transeunte…

Sobre hipóteses:

Toda iniciativa começa com uma hipótese. E a premissa de toda iniciativa é:

Este produto pode/deve ser construído? Qual o resultado de valor esperado desta iniciativa?

Quantas vezes você já viu um produto no mercado que não fazia muito sentido? Quantas vezes você viu uma demanda sendo atendida para um “total de zero pessoas”?

Uma hipótese abraça o conceito de que toda demanda merece um olhar atento e precisa resolver um problema. Portanto, toda iniciativa carrega em si o fato de que são apenas apostas, suposições de que algo vai dar certo.

MAS DAÍ PRI, ENTÃO A GENTE PODE SAIR TESTANDO?

Nossa missão aqui é reduzir o risco dessa hipótese. Mas como?

Sabendo qual problema estamos resolvendo.

A iniciativa é composta de três conceitos:

Output > Outcome > Impact

Onde output é a saída do seu produto, outcome são as métricas operacionais do seu produto, e impact são os resultados para o negócio.

Por exemplo

Output: Entreguei uma nova área de ofertas

Outcome: Rendeu 10000 visualizações e 1000 cliques no primeiro mês de vida

Impact: Ajudou a monetizar 1000 clientes no primeiro mês, trazendo R$ 5000,00 de incremento de faturamento.

Declarando em palavras esta hipótese, vou deixar aqui a colinha:

Nós acreditamos que será alcançado este

[outcome de negócio]

se [este usuário]

conseguir com sucesso [seu outcome de usuário]

com [esta funcionalidade].


Saberemos que isto é verdade se observarmos este feedback:

1) qualitativo e/ou

2) quantitativo e/ou

3) alteração em algum indicador/KPI.

Então, independente se um problema (dor já existente) ou oportunidade (resolvendo um problema futuro para obter algum resultado), as hipóteses nivelam esse conceito para que possamos acompanhá-las da mesma forma.

Porque ter colaboradores motivados deveria ser prioridade na sua empresa

Mas pera, Motivação tem a ver com Análise de Negócios? Tem sim senhor! Tudo o que tem a ver com a estratégia da empresa e formas de aumentar o ROI tem a ver com Análise de Negócio e são assuntos que devem ser tratados com prioridade na empresa.

Primeiro, eu queria que você visitasse o link aqui: Motivação pode aumentar produtividade do funcionário em até 50%

Uma empresa com colaboradores motivados tem aumento de produtividade,  reduz  a rotatividade, e tudo isso pode representar redução de custos para a empresa, e claro, associados a outras estratégias no negócio, podem levar a um aumento do ROI.

Mas eu, gestor, sou responsável pela motivação das pessoas? A resposta é: Não. Mas você pode tomar ações que podem incentivar que as pessoas se motivem. Por exemplo, temos o Jogo de Moving Motivators, criado pelo Junger Appelo, da Management 3.0.

O jogo normalmente é aplicado presencialmente, mas montei essa apresentação para que possa ser feito à distância:

Se você quiser imprimir as cartas, elas podem ser encontradas aqui:

Moving Motivators Download

Mais informações sobre Moving Motivators? Você encontra aqui:

Prática- Moving Motivators

Organize. (3)